SHINE viajou para OSLO para discutir progresso do OneAquaHealth

Nos dias 27 e 28 de maio, Ângela Freitas e Harm op den Akker, ambos investigadores da SHINE 2Europe, viajaram até ao frio norte de Oslo, na Noruega, para discutir o progresso do projeto OneAquaHealth, financiado pelo programa Horizonte Europa.

O OneAquaHealth, projeto do qual a SHINE é parceira, é coordenado pela Universidade de Coimbra, região que também serve de local de teste para as soluções que estão a ser desenvolvidas. Para além de Coimbra (Portugal), existem locais de investigação em Toulouse (França), Ghent (Bélgica), Benevento (Itália) e Oslo, na Noruega. Nos cinco locais de investigação, os investigadores estão a explorar a ligação entre a saúde dos ecossistemas aquáticos urbanos e a saúde humana. A Universidade de Oslo, responsável pelo centro de investigação norueguês, acolheu gentilmente o Consórcio do projeto no seu campus universitário.

O OneAquaHealth é um excelente exemplo de uma colaboração heterogénea entre parceiros de investigação ambiental, fornecedores de tecnologia e cientistas sociais. O papel da SHINE neste projeto é o de coordenar as atividades do projeto para envolver as partes interessadas relevantes – desde as agências ambientais à indústria e aos próprios cidadãos, através de métodos de inovação social e ciência cidadã.

Durante a reunião, a SHINE organizou um workshop colaborativo no qual os parceiros do projeto foram desafiados a cocriar e a aperfeiçoar o protocolo de investigação para a realização da Ciência Cidadã no projeto. O objetivo é que os cidadãos desempenhem um papel central no processo científico, fornecendo observações sobre a qualidade dos cursos de água urbanos. Estes dados, combinados com observações ambientais científicas e dados geo-espaciais, irão depois alimentar uma plataforma de informação e apoio à decisão que pode ajudar os decisores políticos a definir políticas para melhorar os ecossistemas aquáticos urbanos.

Os investigadores da SHINE regressaram a Portugal com a informação e as decisões necessárias para finalizar a primeira versão do protocolo de Ciência Cidadã, depois de uma reunião agradável, amigável e produtiva.